Notícias

Bahia atrai 492 novas empresas e R$ 65 bilhões

Postado por Agencia Ative | 24 de maio de 2019 às 14:50

Nos últimos anos, muitos empresários, brasileiros e estrangeiros, estão apostando na Bahia. Há um total de 492 projetos em implantação, com investimentos de R $ 64,7 bilhões e potencial de fornecimento de 43 mil empregos. Qual o segredo?

A resposta é muito simples: o bom ambiente de negócios na Bahia é um diferencial. Além disso, há estabilidade política e econômica, o estado oferece programas para treinamento de mão de obra qualificada, recursos naturais abundantes, localização estratégica, boas rodovias e oleodutos, portos e aeroportos, uma ferrovia em operação e outra em implantação. É claro, tudo isso atraiu empreendedores nas diversas áreas, como petróleo e gás, química e petroquímica, agronegócio, energia renovável, mineração, indústria automobilística, entre outras.

“Os neozelandeses descobriram que a Bahia é ideal para a produção de leite. E instalaram a empresa Leitíssimo no oeste da Bahia. Os italianos descobriram que os ventos na Bahia são excelentes para a produção de energia eólica. E implementaram a Enel Green Power na Bahia.”
Do total de projetos em implantação, 373 deverão estar totalmente funcionais já em 2018, com investimentos estimados em R $ 32,4 bilhões e geração de 23 mil empregos. Entre eles, o segmento de Eletricidade e Gás é o mais expressivo na questão do investimento: a previsão é de que o valor chegue a aproximadamente R $ 26 bilhões.

Em 2016, foram assinados 89 protocolos de intenção, com investimentos previstos de R $ 9 bilhões, e foram implementados 60 projetos, com investimentos de R $ 2,8 bilhões e geração de quase seis mil empregos. Os parques eólicos lideram o ranking, representando 73% dos investimentos realizados no estado.

De acordo com o secretário de desenvolvimento econômico da Bahia, Jaques Wagner, a abordagem proativa do governo baiano aos empresários contribuiu decisivamente para atrair investimentos estrangeiros diretos. “Só neste ano recebemos 1100 empresários na Secretaria. Nossa obrigação é fazer com que eles se sintam em casa”, diz Wagner.

Compartilhar