Agronegócio

As condições do solo, a altitude de mais de 1000 metros e o clima de Morro do Chapéu são fatores que contribuem para o plantio da maçã.

PANORAMA DO SETOR
O agronegócio no estado da Bahia vem crescendo e se consolidando como um dos setores mais promissores e de grande importância econômica e social. Na agricultura, o estado é o maior produtor de grãos da Região Nordeste nas culturas de soja, algodão milho. Com uma produção de 8,6 milhões de toneladas de grãos em 2017, a safra baiana obteve um crescimento de 41,1% em relação à safra anterior, segundo estimativas da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), ocupando o 8º lugar no ranking nacional dos estados produtores de grãos.

Líder nacional na produção de banana, coco, manga, mamão e maracujá, a Bahia é o terceiro maior produtor de melancia e limão, destacando-se também na produção de uvas, cacau, café, feijão. Além disso, é o 2º maior produtor nacional de frutas frescas e o 3º maior exportador.

Na pauta das exportações do agronegócio a Bahia participa com 13% do total exportado pelo Brasil ocupando o 8º lugar. Liderando o volume de exportações baianas está o complexo soja (39,6%), flores (32,4%), seguidos de produtos da fibra (9,5%), cacau e seus derivados (6,8%) e frutas (4,0%).

 

Crédito: Secretaria de Turismo / GOVBA

> ALGODÃO
Segundo maior produtor de algodão do Brasil, o estado da Bahia coloca à disposição dos investidores vantagens que transformam o potencial da cotonicultura baiana em boa oportunidade. A cultura ocupa aproximadamente 270 mil hectares da região Oeste do estado, principal pólo produtor, que reúne todas as condições favoráveis ao cultivo com competitividade e alta qualidade. A região possui grande extensão de terras planas, o que facilita o cultivo e a mecanização da colheita, clima bem definido, luminosidade intensa, e boa infraestrutura de estradas e logística.

> SOJA
A produção de soja na Bahia está concentrada no Oeste, região em contínuo crescimento econômico, que tem no agronegócio, sobretudo no segmento de grãos, o principal motor de desenvolvimento. A soja desempenha o papel de principal elemento impulsionador da dinâmica do agronegócio regional, uma vez que foi a primeira cultura a se destacar, e se consolida como a mais importante da região. Estima-se que nos próximos vinte e cinco anos a área ocupada com soja alcance 3,2 milhões de hectares e uma produção de cerca de 14,5 milhões de toneladas.

>MAÇÃ

Uma fruta de lugares de clima temperado está sendo produzida em pleno semiárido baiano nos municípios de Morro do Chapéu, na Chapada Diamantina. Maçãs, peras, ameixas, uvas e pêssegos são desenvolvidos de modo experimental na Unidade de Observação de Viticultura e Frutíferas Temperadas – criada em 2010, por meio de convênios entre a Secretaria de Agricultura do Estado da Bahia (Seagri) e a Associação de Criadores e Produtores da Região de Morro do Chapéu, em parceria com a Prefeitura Municipal.

A primeira colheita de maçãs ocorreu em 2015 quando foram plantadas mudas de quatro variedades de maçãs há um ano. O observatório de frutas é pioneiro na região. As condições do solo, a altitude de mais de 1000 metros e o clima de Morro do Chapéu são fatores que contribuem para o plantio. A condição climática para produção de maçã favorece o cultivo, uma vez que a amplitude térmica é muito boa. A temperatura máxima e mínima que ocorre durante o dia tem uma variação muito grande, o que é de grande importância para se atingir a coloração da fruta que o mercado exige.

O plantio da maçã trouxe uma nova oportunidade de investimentos para a região como alternativa econômica e social, visto a necessidade de se incrementar outras culturas.

> MILHO

A Bahia é o maior produtor de milho do Norte-Nordeste e, no ranking nacional, ocupa o 9º lugar. Cerca de 90 a 95% do milho produzido na região Oeste são comercializados na Bahia e demais estados do Nordeste. De modo geral, 35% da produção são destinados para o mercado avícola da Bahia e o restante da produção é exportado para outros estados nordestinos principalmente para Pernambuco, Ceará e Sergipe para fabricação de ração e consumo.

O milho produzido no Oeste da Bahia tem escoamento facilitado, já que a região é a próxima do mercado consumidor do Nordeste, estando localizada a 900 Km do Porto de Aratu em Salvador e a 1.050 Km do Porto de Ilhéus. Com uma produção de 2,0 milhões de toneladas na safra 2016/2017, que corresponde a um crescimento de 28,7% em relação a safra passada, a cultura do milho vem alcançando aumento na sua produtividade a cada ano.

> CAFÉ
Na produção de café somos referência em qualidade e destaque em prêmios internacionais. Além disso, a Bahia configura-se como o 4º maior produtor do Brasil, registrando uma produção de cerca de 3,4 milhões  em 2017,  o que corresponde a um aumento de 60,4% em relação ao ano passado. Os principais municípios produtores de café do estado são Vitória da Conquista, Piatã, Mucugê, Ibicoara, Barra do Choça e Poções.

> CACAU

Principal produtor de cacau do Brasil, o estado é responsável por 60% da produção nacional com uma colheita de 141,1 mil toneladas e com grande potencial para exportação. O estado vive um momento de retomada da produção, com a realização de pesquisas destinadas à produção de mudas resistentes à vassoura-de-bruxa (praga do cacaueiro), e investe cada vez mais em qualidade das amêndoas, matéria-prima que tem atraído chocolateiros da Europa.

Na produção do chocolate gourmet, a Bahia tem desenvolvido um importante pólo de produção, com o apoio do governo do estado, para a inserção dos produtores no mercado internacional. Entre os grandes destaques internacionais dessa produção baiana estão as marcas Amma, Mendoá, ChOr – Chocolate de Origem, Amado Cacau, Fazenda Sagarana, Maltez, Costa Negro entre outras.

Crédito: Manu Dias / GOVBA

> MAMONA
A Bahia é o maior produtor nacional de mamona – uma das matérias-primas do biodiesel e do óleo de rícino. Na safra 20162017 a produção foi de 12,8 mil toneladas em uma área de 21 mil hectares. A produtividade é de 610 kg/ha.

> PECUÁRIA
Na pecuária, o estado lidera a produção de caprinos, asininos e muares, sendo reconhecido como pólo exportador de carnes bovina, caprina e de aves. A pecuária leiteira e de corte estão também entre os grandes investimentos do agronegócio.

A bovinocultura baiana possui um rebanho de 11.000.000 de cabeças – 8º maior rebanho do Brasil, e o maior rebanho do Nordeste. O estado da Bahia recebeu a Certificação de Zona Livre de Febre Aftosa, permitindo acessibilidade a importantes mercados nacionais e internacionais.

Com 5.835.899 de cabeças (caprinos-ovinos), o estado é o maior produtor de caprinos do Brasil, sendo uma forte alternativa econômica para o desenvolvimento do semiárido. O Governo do Estado criou o Programa Pró-Berro, cujo objetivo é melhorar geneticamente o rebanho, através de incentivos fiscais, com financiamento de reprodutores de alta linhagem genética a juros razoáveis e prazos longos.

Bovinocultura Leiteira
A Bahia ocupa o 7º lugar no ranking dos estados produtores de leite, o que corresponde a 2,6% da produção nacional, e possui ainda o maior rebanho da Região Nordeste, sendo que 1.170.953 cabeças são vacas produtoras de leite que produzem em média, cada uma delas, em torno de 561 litros por ano. Além disso, o estado é favorecido pela grande extensão da sua área para criação do rebanho o que torna a Bahia o maior produtor de leite do Nordeste, sendo responsável por 40% da produção total da região, segundo dados do Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados do Leite (Sindileite).

Com grande potencial para o negocio do leite, a Bahia processa anualmente 50 milhões de litros por ano, com capacidade de processamento nos sete laticínios com serviço de inspeção instalados. Alem disso, o estado possui cerca de quatro mil produtores que entregam o leite em laticínios inspecionados. A outra vantagem do estado está na grande safra de grãos que funciona como grande fator impulsionador da produção leiteira que gera ingredientes para as rações, conforme se evidenciou em outros estados do pais.

No município de Jaborandi, no Oeste baiano, a Leitíssimo produz leite com tecnologia e sistema de manejo e gestão modernos trazidos da Nova Zelândia.

> PRODUÇÃO DE AVES
A Bahia registrou um total de 28,2 milhões de frangos abatidos em 2017, o que representou um crescimento de 11,9% em relação ao ano passado. No que se refere a produção de ovos, o estado alcançou 11,7 milhões de dúzias, um aumento de 4,9%. Dentre as vantagens e oportunidades da avicultura na Bahia, estão a disponibilidade de grãos, mercado consumidor crescente, condições climáticas favoráveis, e implantação de parque industrial para equipamentos, instalações e máquinas.

 

POLOS DO AGRONEGÓCIO

> REGIÃO OESTE DA BAHIA
Engloba os grandes municípios produtores de grãos: Barreiras, Luís Eduardo Magalhães e São Desidério. Essa região vem se destacando como uma grande potência do agronegócio através das culturas de soja, milho e algodão – já consolidadas com aplicação de tecnologia de ponta desde a plantação até a colheita.

> REGIÃO DO VALE DO SÃO FRANCISCO 
Fortalecida pela irrigação e solo fértil, o Vale do São Francisco se destaca como grande pólo produtor de fruticultura e o mais importante centro frutífero do Brasil, com destaque para a produção de manga e uva de mesa. A região é a única do mundo capaz de produzir cinco safras de uva em dois anos, devido às suas características naturais como luminosidade, umidade e disponibilidade de água. Possui variedades de uvas com qualidades comprovadas para a produção de vinho, colocando-se como o segundo pólo vinícola do Brasil, com grande potencial para crescimento. (SEAGRI,2017)

Essa região gera um faturamento de R$ 2 bilhões ao ano atualmente nos 120 mil hectares irrigados que abrangem os perímetros irrigados, onde anualmente são produzidos mais de um milhão de toneladas de frutas. Outras culturas também são destaque como a da goiaba, coco verde, melão, melancia, acerola, maracujá, e banana. Na Bahia, fazem parte do Vale do são Francisco os seguintes municípios: Juazeiro, Sento Sé, Casa Nova, Curaçá, Rodelas, Glória, Paulo Afonso. Já os perímetros irrigados estão nos municípios de Curaçá, Maniçoba, Mandacaru, Tourão, Salitre 1ª etapa, Glória, Rodelas e Pedra Branca.

Crédito: Manu Dias / GOVBA

VANTAGENS EM INVESTIR

• 8º maior produtor de grãos do país
• Maior produtividade de leite do Brasil
• Líder nacional na produção de manga
• Maior produtor de cacau do país (responsável por 60% da produção)
• Importante polo de produção de chocolate gourmet
• Maior rebanho pecuário do Nordeste
• Produção de café de qualidade e 4º maior produtor nacional

 

POR QUE INVESTIR

• Há duas ou mais colheitas ao ano;
• Recursos hídricos para irrigação;
• Polos de produção já consolidados e estruturados para exportação;
• Altos índices de produtividade nas áreas irrigadas, com estrutura de pós-colheita;
• Certificações de conformidade adotadas pelos mercados mundiais;
• Oportunidade para agroindustrialização da sua matriz frutífera.

 

PRINCIPAIS EMPRESAS INSTALADAS

 

ONDE O SETOR ESTÁ PRESENTE
Veja no mapa abaixo onde o setor é predominante no estado.