Mineração

A Bahia possui um vasto potencial mineral a ser explorado.

PANORAMA DO SETOR
Quinto estado brasileiro no ranking nacional de bens minerais e dona da maior diversidade mineral do país, a Bahia é um dos estados mais promissores do setor de mineração. Possui um vasto potencial a ser explorado. São mais de 46 bens minerais em um território coberto 100% por mapeamento aerogeofísico e 100% por mapeamento geológico o que, segundo dados do DNPM – Departamento Nacional da Produção Mineral – situa o estado como o primeiro do país em requisições de área para pesquisa mineral, especialmente, “commodities” minerais. Este setor representa 4% da produção mineral brasileira e participa com 1,4% do PIB baiano.

Além disso, é líder nacional na produção de cromo, urânio, magnesita, talco, diatomita, quartzo, diamante em kimberlitos, salgema e vanádio. Abriga cerca de 367 mineradoras responsáveis por cerca de 15 mil postos de trabalho.

Para gerir e explorar todo esse patrimônio, o estado decidiu elaborar a sua Política Mineral, visando apoiar e incentivar ações na promoção e atração de investimentos para o setor. A política mineral adotada pela Bahia está orientada para a descoberta de novas jazidas e depósitos, além do diagnóstico da potencialidade mineral do estado, o desenvolvimento tecnológico e a implantação de infraestrutura viária e energética que viabilizem empreendimentos privados no setor.

A Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM) é uma empresa governamental dedicada ao conhecimento geológico do estado e à divulgação, através de prospectos, das oportunidades de aproveitamento econômico dos depósitos e jazidas minerais por ela descobertos e estudados, visando transferi-los à iniciativa privada por meio de concorrências públicas. Dessa forma, os investidores encontram maiores facilidades, sem os riscos, os custos e o longo tempo necessário à descoberta, estudo e legalização de uma jazida mineral adequada aos seus objetivos empresariais.

Nas exportações, o comércio exterior de bens minerais da Bahia é composto, principalmente, por exportações de ouro, níquel, rochas ornamentais, vanádio e magnesita, tendo como principais destinos Estados Unidos, China, Canadá, Itália, Coréia do Sul, Finlândia, Suíça, Emirados Árabes e Hong Kong.

 

PRODUÇÃO MINERAL BAIANA COMERCIALIZADA
Principais Mineradoras e Minerais –
Ano 2017 (%)

Fonte: SDE

 

DADOS DO SETOR
• 2º maior produtor de bentonita;
• 3º produtor de cobre, água mineral, pedras preciosas, prata e rochas ornamentais;
• Produção de mais de 30 variedades gemológicas (esmeralda, ametista, rutilo, etc.) e único produtor de diamantes em kimberlito;
• Único produtor mundial de granito azul (Azul Bahia, Azul Macaúbas e Azul Boquira) e único estado a produzir o mármore travertino – Bege Bahia;
• Destaque nacional na produção de ouro;
• Maior reserva de areia siliciosa de alta pureza do Brasil, com reservas estimadas em 10 milhões de toneladas e especiais para a produção de vidro e fibra ótica.

O estado tem estimulado a transformação mineral em produtos de maior valor agregado, contando, para isso, com uma política de incentivos à industrialização, acesso a centros de excelência para formação de mão-de-obra especializada e todo o apoio necessário para a implantação desses empreendimentos.

Para isso, conta com Universidades e Escolas Técnicas, públicas e privadas, que formam profissionais de nível superior e técnico, além de centros tecnológicos públicos e privados que desenvolvem estudos e pesquisas para o setor.

Existem projetos privados em implantação ou implantados no estado, voltados para o aproveitamento econômico de minerais metálicos, como: ouro, cobre, níquel, ferro, bauxita, vanádio; não metálicos como: magnesita, grafita, areia quartzosa, quartzo, talco, bentonita, água mineral, rochas ornamentais (ou mármores e granitos), gemas : diamantes (Kimberlito), esmeralda, rutilo, ametista, água marinha, dentre outros.

Crédito: Divulgação / GOVBA

OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTOS

>PESQUISA EM TERRA RARAS
• O Brasil incluiu as terras raras no Plano Nacional de Mineração 2030 como estratégico para o país, que detém as maiores reservas mundiais, localizadas entre o norte do Rio de Janeiro e sul da Bahia;
• Necessidade de pesquisa no território baiano, que possa identificar, qualificar e quantificar suas reservas, fazendo com que a Bahia venha a se inserir de forma efetiva neste mercado.

>EXPLORAÇÃO EM ÁGUA MINERAL
• Potencial aquífero;
• Água leve e de grande potabilidade.

>ATRAÇÃO DE INVESTIMENTOS EM SERRARIAS DE GRANITO
• Portfólio diversificado;
• Rochas exóticas e padrão diferenciado;
• Produção baiana exportada em bruto ou comercializada para corte no Espírito Santo;
• Excelentes condições para a atração de empresas (porto e ZPE);
• Possibilidade de instalação de unidade para fabricação de produtos aglomerados e prensados a partir do aproveitamento dos estoques remanescentes da lavra.

A CBPM vem desenvolvendo um programa de pesquisa, visando a identificação de depósitos de Grafita e Lítio no território baiano

>ATRAÇÃO DE INVESTIMENTOS PARA PRODUÇÃO DE TELHAS, LOUÇA SANITÁRIA E LOUÇA DE MESA
• Bahia importa de outros estados cerca de 78% das telhas consumidas e 100% das louças sanitárias e de mesa;
• Depósitos de argilas e outros insumos minerais levantados, catalogadas e analisados pela CBPM para aplicação em fabricação de telhas, cerâmica para revestimento, louça sanitária e de mesa. Os depósitos são de excelente qualidade;

>OPORTUNIDADES MINERAIS DA CBPM DISPONÍVEIS PARA PARCERIA COM A INICIATIVA PRIVADA
• Depósitos de fosfato e de zinco e chumbo na região de Irecê /Lapão;
• Caboclo dos Mangueiros : Depósito de Ni + Cu + Co no município de Remanso e Pilão Arcado;
• Jurema Leste : Ouro no município de Iramaia;
• Zinco de Mundo Novo;
• Areia Silicosa de Alta Pureza em Belmonte.

PRINCIPAIS EMPRESAS INSTALADAS

 

ONDE O SETOR ESTÁ PRESENTE

Diversas empresas do setor de mineração estão instaladas na Bahia. O destaque vai para a produção de níquel em Itagibá, de ouro em Santa Luz e vanádio em Maracás.

Veja no mapa abaixo onde o setor é predominante no estado.