Papel e Celulose

4º maior produtor de eucalipto do Brasil, o estado da Bahia é referência nacional na produção de papel e celulose, possuindo um dos maiores parques industriais de celulose do mundo.

PANORAMA DO SETOR

O setor de papel, celulose e madeira engloba uma variedade muito grande de cadeias produtivas, envolvendo das fibras da madeira – matéria-prima para a indústria de papel, de embalagens, de filtros industriais, e plásticos – à fabricação de artefatos de madeira maciça e madeira reconstituída para a fabricação de móveis.

A estratégia para a indústria da celulose e a cadeia da madeira pauta-se no desenvolvimento de uma nova plataforma de transformação florestal para o estado, na medida em que há um potencial inexplorado para a indústria de base madeireira, e que este potencial está sendo contemplado no projeto de uma nova infraestrutura logística, com o advento da Ferrovia Oeste-leste e do Porto Sul.

Combinados, estes modais abrirão espaço para fomentar novos polos de plantio através de empreendimentos industriais de base florestal. O ponto de partida é estabelecer uma oferta de terras para o plantio de florestas em bases sustentáveis e uma política de incentivos para esta cadeia. São esses os ativos que irão alavancar essa indústria nos próximos anos.

A indústria de papel e celulose é contemplada pela alta produtividade das florestas de eucalipto e pinus. A Bahia aparece em 4º lugar no país em floresta plantada de eucalipto, com 618 mil hectares, segundo estudo “Bahia Florestal 2021” da ABAF (Associação Baiana das Empresas de Base Florestal). Ressalta-se ainda os processos industriais, que utilizam tecnologia de ponta, o que aumenta a competitividade do setor e o seu bom desempenho nos mercados interno e externo.

Crédito: Elói Corrêa / GOVBA

DADOS DO SETOR

Considerando a cadeia produtiva do setor florestal-industrial(de base florestal plantada) na Bahia, o Produto Interno Bruto (PIB) florestal-industrial do estado alcançou R$14,32 bilhões em 2020. Este valor representa uma contribuição do setor na ordem de 5% no total do PIB estadual, reforçando a relevância do setor florestal. Tais números demonstram que a participação do setor na economia estadual é representativa, segundo dados da ABAF – Associação Baiana das Empresas de Base Florestal.

> PRODUTIVIDADE

A Bahia possui a maior produtividade brasileira e do mundo no que se refere a plantios de eucalipto, superior à média brasileira e à média de outros importantes países produtores de florestas. Tais fatores decorrem em função da edafoclimáticas regionais que envolvem condições favoráveis de solo e clima e pela tecnologia de ponta empregada na cultura.

A produtividade média dos plantios de eucalipto no país é de 36m³/ha/ano, e a do estado atinge 38 m³ por ha/ano. (Abaf,2021)

Em relação à Área Certificada, a Bahia contou com 678,4 mil hectares de plantios certificados, o que representou 81% do total plantado no estado. Sendo assim, a Bahia é o estado que possui a maior razão entre área certificada e área plantada no Brasil. Os outros estados certificaram, em média, 60% dos plantios florestais.

> CONSUMO

O saldo entre produção e consumo indica que para alguns produtos, como o papel, artes e peças de madeira, móveis e painéis, existem oportunidades de investimento no estado da Bahia, visto que parte do consumo é suprido por empresas de fora do estado. A Bahia é um dos maiores geradores de empregos do setor na Região Nordeste do Brasil, tendo como destaque as grandes cidades do interior, sendo estas responsáveis pela manutenção do emprego fora dos centros urbanos.

> EXPORTAÇÕES

Em 2020, o segmento de papel e celulose foi o terceiro mais importante nas exportações baianas com participação de 12,86%. Ainda de acordo com a SEI (Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia), as exportações neste setor somaram US$ 1.007, 8 milhões.

Em julho de 2021, de acordo com dados da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI) o setor de papel e celulose foi o quarto no ranking de exportações na Bahia alcançando um crescimento de 13,30%em relação ao mesmo período do ano passado.

Crédito: Elói Corrêa / GOVBA

OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTOS
• Atração de fabricantes para implantação de fábricas de papel e produtos de higiene pessoal, derivados de celulose e de outros usos para a madeira;
• Atração de fábricas de Máquinas e equipamentos para o setor;
• Consolidação da cadeia produtiva;
• Atração de polos florestais.

PRINCIPAIS EMPRESAS INSTALADAS

ONDE O SETOR ESTÁ PRESENTE
As principais empresas do setor estão instaladas no Território do Extremo-Sul da Bahia. Essa atividade abrange 47 municípios, gera mais de 2.500 empregos diretos e cerca de 12.500 indiretos.

Dois municípios, Eunápolis e Mucuri, no sul do estado, se destacam na produção e são sedes de grandes empresas do segmento – a Veracel, instalada em Eunápolis, e a Suzano, localizada em Mucuri. Considerada uma das indústrias mais avançadas do mundo no setor, a Veracel é especializada na produção de celulose. Já a Suzano, atualmente em expansão, produz de forma integrada (papel e celulose) e possui a maior unidade produtora de celulose e papel do Brasil.

Veja no mapa abaixo onde o setor é predominante no estado.