Petróleo e Gás | Petroquímico

A Bahia é a pioneira na exploração e produção de petróleo e gás no Brasil e ocupa a quarta colocação entre as bacias produtoras no País. Em seu território está localizada a ACELEN, antiga Refinaria Landulpho Alves (RLAM), segunda maior do Brasil.

PANORAMA DO SETOR
A Bahia abriga o maior complexo petroquímico integrado da América do Sul, localizado no município de em Camaçari, a 50 km de Salvador. Segundo o Comitê de Fomento Industrial de Camaçari (Cofic), o pólo conta com mais de 90 empresas químicas, petroquímicas e de outros ramos de atividade como polo industrial automotivo, de pneus, celulose solúvel, metalurgia do cobre, têxtil, fertilizantes, energia eólica, fármacos, bebidas e serviços.

Ainda de acordo com o Cofic, a capacidade instalada do Polo Industrial de Camaçari está acima de 12 milhões de toneladas por ano de produtos  petroquímicos de 1ª e 2ª geração e conta com grandes empresas como o Complexo Acrílico da BASF / BRASKEM como a 5ª maior empesa petroquímica do mundo, além da CETREL que operacionaliza o tratamento de efluentes químicos industriais.

Na área de petróleo e gás, a Bahia é a pioneira na exploração e produção e ocupa a quarta colocação entre as bacias produtoras no país. Em seu território (Bacia do Recôncavo) está localizada a ACELEN, antiga Refinaria Landulpho Alves (RLAM), com capacidade de 54,2Mm³/d – Dax Oil: 333m³/d, bem como uma central Petroquímica (Braskem) com diversos terminais instalados que dão suporte à ACELEN e ao Polo Industrial de Camaçari.

A produção de petróleo e gás na Bahia se dá, principalmente, onshore (em terra), mas o estado encontra-se em posição de destaque na produção de gás offshore (no mar) com a Bacia de Camamu-Almada, responsável por 6,1% de toda a produção nacional.

Foto: Manu Dias/Secom

Crédito: Manu Dias / GOVBA

A Bahia possui um grande potencial de produção de gás não-convencional onshore do Brasil, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O estado já oferece boa parte da infraestrutura necessária para a produção, uma vez que os campos não-convencionais encontram-se nas mesmas regiões dos atuais campos de produção convencional de petróleo e gás.

Além da Petrobras, empresas independentes como a Alvopetro, Gran Tierra, Imetame e PetroRecôncavo atuam na produção de petróleo na Bahia, reunidas na Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Petróleo e Gás – ABPIP. Estão também presentes no estado empresas de produção de bens e serviços para o setor, a exemplo da MFX, produtora de umbilicais, que atua internacionalmente em um dos mercados mais competitivos do mundo.

A Bahia apresenta também um dos maiores mercados de gás do Brasil, essencialmente industrial. A Distribuidora de Gás da Bahia – Bahiagás é a terceira maior do país.

PERFORMANCE – BACIA DO RECÔNCAVO (PRODUÇÃO / INFRAESTRUTURA)

Índice de sucesso de poços pioneiros: 28%;

Bacia madura: Grande conhecimento geológico;

Produção acumulada:

Petróleo 1,6 MM bbl

Gás associado: 52,7 MM m³

Gás não associado: 20,7 MM m³

Infraestrutura:

4 UPGNs instaladas

I – Candeias: 2,9 MM m³/d  –  II- Estação Vandemir Ferreira: 6 MM m³/d

III – Santiago: 1,9 MM m³/d – IV – Caburé: 500 Mm³/d  – Terminal de Regaseificação (TRBA)

Vazão máxima de 20 MM m³/d e armazenamento de 136 Mm³ de GNL

Conexão com malhas de gás Sudeste (GASENE) e Nordeste (GASEB)

 

OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS

O Plano de Negócios da Petrobras destina para a Bahia US$ 9,8 bilhões entre Petrobras e parceiros. Nos investimentos previstos, está a construção do Terminal de Regaseificação da Bahia, que terá capacidade para regaseificar 14 milhões de m³/dia de GNL. Hoje, o estado é exportador de gás graças ao Campo de Manati, localizado na Baía de Camamu.

Recentemente, o Campo aumentou a sua capacidade para 6 a 8 milhões de m³ por dia. A Bahia também conta com uma das maiores distribuidoras de gás do Brasil, a Bahiagás.

No segmento de Exploração e Produção (E&P) de Petróleo e Gás, a Bahia possui cerca de nove bacias sedimentares e nele trabalham cerca de 30 empresas concessionárias responsáveis por 2,3% de toda a produção de óleo e 15,5% da produção nacional de gás.

Exemplo disso são as empresas Newo Óleo e Gás Ltda., Muncks & Reboques Brasil Ltda., Energizzi Energias do Brasil Ltda., Imetame Energia Ltda. que, em agosto de 2017, assinaram, com a ANP, contratos de concessão de áreas arrematadas na 4ª Rodada de Acumulações Maduras, referente à Bacia do Recôncavo. Tais fatos, juntamente com a exploração do pré-sal e a esperada escala e continuidade das encomendas, sinalizam uma grande oportunidade de fortalecimento para a cadeia de suprimentos da indústria petrolífera.

Outra oportunidade verificada no setor refere-se ao índice de nacionalização dos equipamentos, exigido pela ANP nas rodadas de licitação para concessão de direitos de exploração e produção de petróleo e gás natural em território brasileiro.

O rol de oportunidades no setor de petróleo e gás ainda inclui:
– Produção de petróleo e gás em campos convencionais e não-convencionais postos em leilão pela ANP
– Aquisição de ativos disponibilizados pela Petrobras
– Fornecimento de bens e serviços para os produtores independentes de petróleo e gás na Bahia e demais estados produtores de petróleo e gás da região Nordeste
– Importação de gás natural liquefeito (GNL) para suprimento dos mercados baiano e brasileiro.
– Serviços de sondagem de produção e de perfuração
– Serviços especializados de canhoneio, perfilagem, cimentação, fraturamento e acidificação
– Brocas, alargadores e equipamentos de bombeio centrífugo
– Tubos de revestimento e de produção, linhas de condução e acessórios para revestimento e válvulas API
– Bombas mecânicas para elevação de petróleo, compressores, cimento e aditivos
– Produtos químicos e reagentes, hastes e outros componentes da coluna de bombeio mecânico, equipamentos de cabeça de poço e medidores de vazão de óleo e gás
– Serviços de certificação pela ISO 9000

 

Crédito: Divulgação / GOVBA

PRINCIPAIS EMPRESAS INSTALADAS

ONDE O SETOR ESTÁ PRESENTE
A produção de petróleo no país foi a maior registrada nos últimos 10 anos em 2011, de acordo com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP. Foram produzidos aproximadamente, 768 milhões de barris de petróleo e 24 bilhões de metros cúbicos de gás natural, representando um total de 919 milhões de barris de óleo equivalente (boe).

Neste contexto, o estado da Bahia conta com o maior complexo petroquímico integrado do Hemisfério Sul – o Polo Industrial de Camaçari. O complexo tem mais de 90 empresas, petroquímicas, químicas e indústrias de outros segmentos.

Veja no mapa abaixo onde o setor é predominante no estado.